facebook facebook facebook

O PRÁTICO

Profissional especializado que possuindo grande experiência e conhecimentos técnicos de navegação e de condução e manobra de navios, bem como das particularidades locais, correntes e variações de marés, ventos reinantes e limitações dos pontos de acostagem e os perigos submersos ou não, assessora o Comandante na condução segura do navio em áreas de navegação restrita ou sensíveis para o meio ambiente.
 

Como Surgiu o Prático

A existência oficial do Prático remonta ao Código de Hamurabi, quarenta séculos passados, onde estavam legislados seus deveres, ganhos e penalidades por eventuais insucessos na condução das embarcações.

Desde então são responsáveis pela segurança das embarcações, de seus tripulantes, passageiros e cargas, pela manutenção dos canais de acesso desimpedidos e da operacionalidade dos terminais de carga e descarga.

Com o crescimento desmesurado dos navios e a nocividade de seus combustíveis e cargas transportadas, o Prático, além de propiciar segurança da navegação e da vida humana no mar, hoje é protagonista destacado da proteção do meio ambiente aquático.

A Importância do Prático

Dimensionar a importância do Prático torna-se fácil quando constatamos que 98% das cargas de nosso comércio, doméstico ou internacional, são transportadas por navios. 

Com sua habilidade e profundo conhecimento local permite o emprego de navios de maior porte, com máxima segurança dentro dos limites hidrográficos do Porto, otimizando o escoamento das cargas de interesse da região, tendo sempre presentes as responsabilidades com a proteção da vida humana, a preservação do meio ambiente aquático, a manutenção da navegabilidade nos canais de acesso e a proteção do patrimônio público ou privado envolvido na manobra, ou sejam: navios, rebocadores, lanchas e instalações portuárias.

Como Ser um Prático

Eventuais vagas serão preenchidas por processo seletivo em nível nacional realizado pela Autoridade Marítima, versando sobre Navegação, Manobra de Embarcações, Arte Naval, Marinharia, Comunicações, Inglês Técnico Marítimo dentre outras disciplinas, além de prova de títulos.

Informações sobre o processo seletivo à categoria de praticante de Prático poderão ser obtidas através da Norma da Autoridade Marítima para Serviço de Praticagem (NORMAM 12/2003), no site da Diretoria de Portos e Costas ou através do email secom@dpc.mar.mil.br

Em todos os portos do país a profissão é exercida obedecendo lotações fixadas pela Autoridade Marítima, exercida pelo Comando da Marinha – Ministério da Defesa.

Na fixação destas lotações a Autoridade Marítima atende solução de compromisso, fixando números não tão grandes que possam prejudicar a manutenção da habilitação, e não tão pequenos que possam dificultar a permanente disponibilidade de Práticos ou levá-los à sobrecarga e fadiga.

Os aprovados e classificados, dentro do número de vagas, serão elevados à categoria de Praticantes de Prático.

O Praticante de Prático é apresentado à respectiva empresa de Praticagem local que o submete a um intensivo programa de treinamento. Ao fim deste, caso julgado apto, será submetido a exame aplicado pela Autoridade Marítima.

Neste longo treinamento o Praticante, além de memorizar toda a geografia da região, seus ventos, marés e correntes nas quatro estações do ano, acompanha e executa, sob supervisão de todos os Práticos, as manobras em seus diferentes canais e terminais. Habilita-se ainda a coordenar a ação conjugada dos rebocadores e passa a dominar e empregar todos os avanços tecnológicos disponíveis na atividade.

Fonte: http://www.conapra.org.br/

Av. Lafayete Coutinho, 1010, loja 15, Bahia Marina - Salvador - Bahia. Tel+55 71 3016 8500 Fax+55 71 3016 8511